Eis uma lista fora de ordem:

- Uma menina;
- Um livro;
- Pais;
- Um garoto;
- Livros;
- Escola;
- Um homem;
- Bombas;
- Morte.

A menina, magra e pobre, enfrenta grandes desafios desde criança. Resiliente, segue em frente e conhece os Pais. Provando que os opostos se atraem, sua educação torna-se equilibrada. Sua mente é trabalhada para aquele mundo graças ao temperamento da mãe, e seu coração torna-se bom graças ao grande afeto do pai.

um livro, cujo assunto não é considerado adequado para criança alguma, mas que para ela tem um imenso valor.

Existe também duas amizades  um homem e um garoto  do tipo que todos deveriam ter na vida. Apesar da situação do homem, ele não deixa sua educação e generosidade de lado. O garoto, apesar da pouca idade, mostra-se exemplo de determinação e coragem. "Humildade" é algo que ambos têm em comum.

Daí surgem outros livros. Alguns roubados, outros, artesanais. Com histórias triviais, ou baseadas em fatos reais. Todos com um grande significado.

Em meio às bombas, que se tornaram comuns, a escola obriga seus alunos a seguirem e concordarem com determinado conceito.
"Todos devem adorar o Führer!".

Mas a menina, seus pais, o garoto, e o homem quebram as regras em favor dos direitos humanos. Mesmo muito pobres, o bem do próximo mostra-se mais importante que qualquer título ou qualidade de vida.

Com a morte sempre comprometendo a vida daquela menina, a história termina. De fato, não há quem possa provar que qualquer raça seja ruim. Somos todos iguais e nada acontece por acaso.